sábado, 14 de julho de 2018

Duelo em Glória é interrompido e finalista deve ser conhecido no TJD-SE

(Crédito: Blog do Sandro)
Educar e Real Moitense decidiriam, na noite desta sexta-feira, 13, a vaga na final do Campeonato Sergipano Adulto de Futsal. Mas o duelo no ginásio Padre Leon Gregório, em Glória, foi interrompido quando faltava 50 segundos para o fim do jogo. Informações dão conta de uma confusão generalizada em quadra. 

O jornalista Pierre Almeida, do SergipeNet – site de notícias com sede em Ribeirópolis, explicou, via whatsapp: “Então, o jogo estava empate, faltava alguns segundos para o encerramento da partida. O Educar roubou uma bola e saiu para o contra-ataque, foi quando o massagista da equipe de Moita passou a perna no atleta da equipe citada e derrubou. Gerou uma confusão”. 

Pierre completa que “houve um tumulto na área dos vestiários assim que o massagista se retirou da quadra”. 

O primeiro vice-presidente da Junta Governativa da Federação Sergipana de Futsal (JG/FSFS), Laércio Santa Bárbara, explica que ficou sabendo de uma confusão generalizada pelos grupos de whatsapp. E completa: “Já solicitei ao diretor de arbitragem para cobrar dos árbitros agilidade na entrega da súmula e relatório do jogo. Ainda hoje estaremos tomando conhecimento e convocaremos o TJD”.

Assesait vence novamente o Lagarto e está na final do estadual de futsal

(Crédito: Divulgação)
O Campeonato Sergipano de Futsal conheceu, na noite desta sexta-feira, 13, o primeiro finalista. Após golear o Lagarto por 4 a 1 no jogo de ida em Itaporanga, o time itaporanguense do Assesait venceu o Verdão por 5 a 4, no ginásio “O Ribeirão”, em Lagarto, e garantiu a vaga na decisão do certame. 

O adversário do Assesait deve ser conhecido no TJD. Na noite desta sexta-feira, 13, no ginásio Padre Leon Gregório, em Glória, o Educar empatava com o Real Moitense por 3 a 3 quando uma confusão generalizada interrompeu a partida a 50 segundos do fim. 

No duelo do Ribeirão, o Lagarto suportou a pressão do adversário e terminou o primeiro tempo vencendo por 2 a 1. O time da casa, comandado por Davi Mendonça, precisava de mais dois gols para levar o jogo para a prorrogação. Mas, na etapa final, o Assesait virou o jogo e garantiu a vitória e a classificação: 4 a 3. 

No placar agregado: Assesait 8x4 Lagarto.

sábado, 7 de julho de 2018

Dores na virilha? Entenda sobre a síndrome que atinge o quadril

(Crédito: Globoesporte/Eu Atleta)
Dor no quadril, perto da virilha, que piora ao elevar a perna (na flexão de quadril) são sintomas da chamada Síndrome do Impacto Fêmoro-Acetabular. Nessa patologia, um impacto inadequado entre as partes que compõe a articulação gera dor e lesão no local. Pode acontecer desde um processo inflamatório simples até o rompimento de estruturas importantes, como o labrum do acetábulo, cartilagem que recobre o quadril. Algumas variações anatômicas da articulação podem predispor a essa síndrome, como o osso da coxa mais rotacionado para frente ou um menor teto na arte superior à cabeça do fêmur.

Curiosamente, o quadril é a articulação com grande variação entre as pessoas e muitas vezes uma característica peculiar acaba levando à dor. Além da anatomia, a falha de alguns músculos também está relacionada ao aparecimento da lesão femoro-acetabular. Glúteo máximo e um grupo de músculos pequenos abaixo dele, conhecidos como pelve-trocanterianos, tem influência importante na patologia.

O tratamento depende da causa e da gravidade. Processos inflamatórios e lesões pequenas têm tratamento com fisioterapia. Lesões grandes, principalmente do labrum do acetábulo, precisam de cirurgia, normalmente através de artroscopia, técnica cirúrgica que não abre totalmente a articulação, fazendo apenas pequenos furos. Há evidência científica de que a maioria dos atletas submetidos à essa cirurgia retornam ao seu rendimento normal no esporte após alguns meses de recuperação. Como em toda lesão, o cuidado precoce é importante. Sendo assim, fique alerta com dores no quadril que pioram na flexão e procure orientação de profissional da saúde.

Fonte: Globoesporte/Eu Atleta

sábado, 30 de junho de 2018

Saiba das regras do remo paralímpico

(Crédito: Revista Superinteressante)
O desafio dos atletas no remo paralímpico consiste em remar contra o tempo em uma linha reta de 1 km de distância e atingir a linha de chegada primeiro.

A modalidade estreou na edição dos Jogos de Pequim 2008 e, na Rio 2016, foram realizadas uma prova masculina, uma feminina e duas mistas. Cada classe disputa com um tipo de barco que varia conforme o número de atletas a bordo: individual, em dupla ou em quarteto.

Os remadores também são direcionados segundo sua capacidade motora. No barco individual (Skiff individual), há pessoas que têm somente os braços para se impulsionarem na água, sendo fixos o assento e o encosto da embarcação. No barco de palamenta dupla (Skiff duplo), o assento também é imóvel e a tripulação, que pode ser mista, usa o tronco e os braços para locomoverem o barco.

Nessas duas classes, de palamentas duplas, os atletas remam com um remo em cada mão, ou seja, dois remos e dois braços.

Já no quarteto, a embarcação é de palamenta simples, em que cada um compete com só um remo na mão. Nesse caso, homens e mulheres participam juntos e utilizam braços, pernas e troncos para movimentarem o barco, que conta com assento deslizante.

Também são permitidos atletas cegos, amputados, com paralisia cerebral, distúrbios neurológicos ou intelectuais. Dos quatro tripulantes, apenas dois podem apresentar problemas de visão. O timoneiro, guia do remo, é o quinto elemento do barco e não precisa ter deficiência para participar.

Fonte: Revista Coquetel

quarta-feira, 27 de junho de 2018

Jogos de volta do Estadual de Futsal acontecem após festejos juninos

(Crédito: Divulgação)
Os jogos de volta do Campeonato Sergipano de Futsal já têm data marcada: será no dia 3 de julho (terça-feira), uma semana após os clubes e torcida curtirem o São João e São Pedro na capital e interior do estado. As partidas, cuja tabela foi detalhada pela FSF na noite de segunda-feira, 25, acontecem às 20h30 nos ginásios de Lagarto e Moita Bonita. 

No ginásio “O Ribeirão”, em Lagarto, o time da casa enfrenta o Real Indep/Sel. Cumbe. Como venceu o jogo de ida, em Glória, por 2 a 0, o time lagartense pode até perder por um gol de diferença que se classifica para a semifinal. Para o time de Cumbe, será preciso vencer por, no mínimo, três gols de diferença. 

Se o Real Indep./Sel. Cumbe vencer por dois gols de diferença, o jogo vai para a prorrogação. Nesta prorrogação, o placar do tempo normal é descartado e o Lagarto, por ter a melhor campanha na fase classificatória, joga pelo empate. 

No outro duelo, o Real Moitense terá vida fácil contra o Siririense no Ginásio de Esportes Governador Albano Franco, em Moita Bonita. Após vencer o jogo de ida, em Itabaiana, por 7 a 0, os moitenses podem até perder por seis gols de diferença que se classificam para a semifinal do torneio. Resta aos siririenses fazer um placar histórico neste estadual para levar o jogo para a prorrogação.